O poder da comunicação

Comunicação

Comunicação

O texto objetiva apresentar alguns aspectos da importância do conhecimento da língua escrita e oral para a ascensão do educando em todas áreas de sua vida. Tendo como fundamentação teórica o livro didático “Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Língua Portuguesa”.

Segundo Almeida (2013, p. 18) a fala é um produto social, ou seja, aprende-se no seio da família, dos amigos, na escola, etc. Sendo assim, é de extrema importância que o indivíduo saiba transmitir seus anseios e compreender a mensagem do outro. A comunicação só ocorre quando há assimilação dos códigos de linguagem por parte dos envolvidos.

Almeida (2013) apud Traváglia (2006) afirma que a linguagem apresenta três concepções importantes: a linguagem como expressão do pensamento, como instrumento de comunicação e interação social. Portanto, o conhecimento da língua oral e escrita é a forma que o indivíduo se estrutura na sociedade e faz parte dela.

O conhecimento da língua oral consiste na capacidade que o indivíduo adquire no processo de desenvolvimento e é aperfeiçoado quando recebe estímulos e ocorrem necessidades e intenções de comunicação nas relações vividas. Por ora, sabe-se que a comunicação é algo inerente do ser humano.

A oralidade e a língua escrita devem estar atreladas na aquisição da alfabetização e letramento com o fim de aperfeiçoar e instrumentalizar o indivíduo à aprender a utilizar de todos os recursos que a linguagem pode proporcionar. Geralmente se escreve o que fala ou pensa e aos poucos aprende-se a dissociar a oralidade da escrita se apropriando das formas que a linguagem escrita é organizada para facilitar a comunicação entre leitores. Para esta empreitada de construção deste conhecimento cabe um trabalho docente comprometido voltado à observação da fala da criança e da proposta educativa para enriquecer e ampliar o vocabulário do educando com intervenções significativas.

A importância que o conhecimento da língua oral e escrita compete no desenvolvimento integral da pessoa é percebida através do domínio da leitura crítica, do desenvolvimento do raciocínio, a fala organizada e bem elaborada, o bom senso, a criatividade, análise crítica de situações na sociedade, bom desenvolvimento social, interação social e bom relacionamento interpessoal derivam de um bom conhecimento e domínio da linguagem oral e escrita.

Mas, não significa dizer que quem não sabe ler ou escrever não desenvolve o pensamento, porém fica dependente de outras formas de comunicação. A pessoa que não tem conhecimento da linguagem escrita, por exemplo, necessita de outros meios para adquirir esse conhecimento, ou seja, de outras pessoas, outros meios de comunicação, como televisão, rádio, etc. O que nem sempre é um meio confiável ou é compreendido em sua concepção real do que se trata.

Portanto, o conhecimento e o domínio da língua oral e escrita permitem uma individualidade e independência da pessoa, permitindo a essa pessoa a interação na sociedade fazendo parte dela e contribuindo para o desenvolvimento da mesma.

Ler e escrever é ter autonomia de pensamento.

Referências

ALMEIDA, Denise. Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Língua Portuguesa. Mogi das Cruzes, SP: Universidade Braz Cubas, 2013. 99p.

Sua opinião é muito importante para mim! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s