Terra dos Homens – Antoine de Saint-Exupéry

2016-02-28 (1).png

SAINT-EXUPÉRY, Antoine de. Terra dos Homens. Tradução e notas de Julia da Rosa Simões; Apresentação Sandra Guimarães. São Paulo: Via Leitura, 2015. (Coleção Saint-Exupéry).

 

Hoje a resenha é da série “Leitura Compartilhada” que faço com a Silvia do Blog Reflexões e Angústias. E este é o nosso terceiro livro – Terra dos Homens do escritor Antoine Saint-Exupéry.

SINOPSE

Neste emocionante relato autobiográfico, do Saara aos 2016-02-27 (9).jpgAndes, episódios da vida de Saint-Exupéry como piloto entre os anos 1926 e 1935 são narrados com riqueza de detalhes, principalmente na época em que prestava serviços à Aéropostale.

Quase sem água e sem comida por catorze dias, o autora e seu mecânico são os principais personagens desta história, que tem como pano de fundo o deserto do Saara e as miragens. Como sobreviver ao calor, sem ter água e qual a falta que esta faz ao corpo?

Terra dos Homens, também conhecido como Vento, areia e estrelas, lida com os laços de amizade, a resignação diante da morte, a persistência, a camaradagem e a solidariedade presentes no ser humano quando em busca de um sentido para a vida.

2016-03-01 (5)

Com descrito na sinopse “Terra dos Homens” é um livro autobiográfico, lançado em 1939 e escrito por sugestão de um colega do escritor, André Gide. Saint-Exupéry narra aqui parte de algumas de suas experiências vividas do Saara ao Andes, demarcando toda sua narrativa com um lirismo e um entusiasmado olhar de um aventureiro apaixonado pelo seu ofício e por escrever.

O livro é dividido por capítulos. São oito capítulos: A linha, Os camaradas, O avião, O avião e o planeta, Oásis, No deserto, No coração do deserto e por fim Os Homens. Sua escrita neste livro segue num estilo de um contador de história, ele divaga, narra fatos que se lembra, expressa seus sentimentos acerca do fato contado, etc.

Pra mim, relato é um tipo de leitura que preciso ler com calma e tentar focar minha atenção, pois a falta de ação torna a leitura um pouco densa e por vezes até dá sono.

Cada capítulo tem suas particularidades e ele tenta seguir uma linearidade, que fica mais perceptível do sexto capítulo em diante. É um texto permeado por impressões do autor, seus valores, suas aprendizagens, sua conduta para com a vida. Portanto, é um convite a refletir. 

Eis, um fragmento do capítulo 02 – “Os camaradas”.

2016-03-05 (4).png

O tema central do livro são os homens com suas histórias, suas crenças, seus valores, suas escolhas, suas experiências e o resultado de tudo isso na vida e na morte do homem. Quando digo aqui “homem”, refiro-me a humanidade, cada pessoa, cada família, cada cultura, cada ser humano independente de sua etnia, crença ou cultura. 

O livro é provocante, angustiante, conflitante e até um pouco desolador principalmente quando acompanhamos o sofrimento do escrito e de seu mecânico quando ficam perdidos no deserto lutando contra a morte.

Penso que há coisas na vida em que jamais encontraremos respostas, porque acho que não existe uma resposta pronta para algo e cada experiência de uma pessoa é única, somente dela. Mas, podemos ver através da perseverança e da fé de alguns que existe soluções melhores que aceitar uma derrota ou um fim não desejado.

A vida é algo dinâmico e está acontecendo, e por isso tudo pode acontecer dependendo de uma escolha.

É preciso saber esperar…

“[…] É inútil, quando se planta um carvalho, esperar logo poder abrigar-se sob suas folhas.” (pág. 36)

Por se um livro autobiográfico é interessante conhecer o pensamento de um homem que ficou tão famoso por uma obra tão singela, como o livro “O pequeno Príncipe”.  E neste livro ao prosseguir com a leitura de cada relato, podemos ir identificando que o pequeno príncipe, a raposa, a rosa já viviam na mente de Exupéry muito antes de ganhar seus primeiros traços num caderno ou livro.

Outro fato chocante é que o acidente que Exupéry narra é praticamente um presságio do que aconteceria com o autor em 1945, que infelizmente não teve o mesmo final feliz. Parece que o deserto o chamava para si.

Trecho que gostei muito de ler e encontrei essa narração no youtube. Confira!

(página 166)

Recomendo a leitura do livro para reflexão e conhecimento do autor e não como entretenimento.

2016-02-29 (5)

Abraços e boas Leituras

Laynne Cris 

Anúncios

Sobre laynnecris

Sou Elaine C. Andrade. Hoje (2017) tenho 38 anos. Sou apaixonada pela leitura e por escrever. Sou formada em Pedagogia e pretendo me especializar em Inglês, alfabetização e gestão escolar. Tenho uma fascinação por músicas e Inglês. Atualmente tenho me dedicado muito na busca da fluência e sou professora alfabetizadora em Inglês. Minha meta é passar no exame da IELTS e talvez morar fora um tempinho. A leitura é para mim um meio muito prazeroso de poder atingir locais e lugares inimagináveis, além de ser uma terapia e uma fonte de conhecimento sem fim. E quando aprendemos nos proporcionar esses momentos para entretenimento, ler torna-se uma atividade necessária para o dia a dia. Também gosto de desenhar, colorir, ouvir músicas. No entanto, faço com menos frequência (só quando surge aquela vontade enorme ou sobra um tempinho). Agora ler nunca estou sem ler algo e onde vou tenho um livro comigo. Me sinto mal se não posso ler. É uma necessidade. Embora ultimamente tenho lido mais livros técnicos e materiais em Inglês. Nasci em Suzano e atualmente moro num bairro de Mogi das Cruzes e estou aprendendo a me adaptar por aqui. Também adoro participar de comunidades de leitura no facebook e canais literários do youtube. Conhecer pessoas, descobrir novos talentos e as vezes encontramos pessoas muito maravilhosas. Enfim, sou uma mulher e profissional comprometida e apaixonada pelo que faço, amo minha minha família e amigos mais que tudo neste mundo. "Que aonde eu passar eu faço amigos e possa agregar valores e aprender também". Laynne Cris
Esse post foi publicado em LEITURA COMPARTILHADA e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Terra dos Homens – Antoine de Saint-Exupéry

  1. Silvia Souza disse:

    Muito bom, Laynne!
    Acho interessante como, mesmo compartilhando a leitura e nossas considerações, conseguimos fazer nossas resenhas com focos diferentes e muito pessoais…
    A caminho do próximo…
    Beijo!

    Curtido por 1 pessoa

    • laynnecris disse:

      Oi, Silvia… Também acho que é interessante como o que compartilhamos só vem agregar a respeito da leitura e de tudo. Tenho gostado bastante e amadurecido muito com essa nossa experiência.

      P.S.: Não estou conseguindo curtir na sua página e nem comentar com esse perfil… Tenho comentado lá com outro perfil. Espero que consiga achar.

      Beijão.

      Curtir

  2. Adoro essa categoria da leitura compartilhada Lay… e achei bem legal a proposta deste livro, principalmente por se tratar de um relato… e por envolver temas que foram ali vivenciados.
    Amei o post *-*
    Um beijão pra ti e um ótimo domingo ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • laynnecris disse:

      Oi, Nath… realmente essa forma de leitura é muito prazerosa. Tem agregado muito para mim. O livro em forma de relato pra mim fica uma leitura mais lenta. Mas, mesmo assim tem seus encantos. Não conhecia nada além de Pequeno Príncipe do Exupéry… e foi interessante essa nova percepção que tive do autor.

      Beijão e uma ótima semana pra ti.

      Curtir

Sua opinião é muito importante para mim! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s