Gravidade

Gravidade

Um lindo dia Galera “WordPressiana!” Como estão todos por ai?

Tirei hoje um instante do meu dia para distrair um pouco e fazer algo que é muito agradável, descomprometido e apenas um gesto de pura descontração da mente e da alma. “Escrever livremente”.

E, abaixo, então lerá um micro-conto que escrevi para participar da “Quarta-Criativa” lá do blog do Palhão…

Quem não conhece ainda, dá uma conferida! => Quarta Criativa 

divisor de texto

Gravidade

“Quem sou eu?” – perguntou a jovem àquele rapaz com quem compartilhava tanto de sua vida.

“Você sabe que eu sei “ler” você, não sabe?” – ele responde a ela com os olhos firmes a encará-la. Ela se intimida diante daquele olhar e insiste na questão.

“Pois, então me diga o que lê agora senhor!” – seu sorriso é tímido, ansioso e esperançoso. Tentava inutilmente esconder seu nervosismo num tom de fala atrevido.

Ele alto, forte e possuidor de uma expressão totalmente ilegível. Aproximou-se dela com certa elegância e destreza. Seus gestos similares ao de um destemido caçador a cercar a vítima que caiu em sua armadilha.

“Diria que você é totalmente dominada pelo que sente por mim, moça. Também diria que adoraria conseguir evitar meus olhos agora. Mas não consegue, pois é atraída por eles de forma incontrolável. E com certeza fugiria se pudesse de mim, pois eu te deixo aflita. Mas, sei que quanto mais tenta fugir mais deseja voltar aqui e pra mim. E sei que adora a tormenta que lhe causo”. – ele sussurra essas palavras aos ouvidos da pequena mulher que suspira e inspira fortemente fechando os olhos tentando inutilmente manter a serenidade de suas ações.

“Estou errado, paixão?” – o meio sorriso indicava que ele conhecia e tinha certeza da tormenta que causou à mulher diante de si. E somente através da reação do olhar e da expressão em seu rosto ele podia ter certeza que ela lhe dizia sim para tudo o que havia dito. As palavras eram desnecessárias. Mas, ele tinha que ouvir. Precisa que ela verbalizasse que ele estava certo. Que ela era dele. Apenas dele.

“Diga, estou certo?” – insistia ele. Tinha que ouvir o som sôfrego da voz daquela mulher que ele desejava ser único em tudo que ela pudesse sentir.

“Sim, não está errado. Sim, não consigo resistir á você. E preciso de você e do que você me faz sentir.” – ela lhe responde tão suavemente e num tom baixo que ele lhe puxa pelos braços e a toma para si, agarrando-a firmemente pela cintura, tornando nulo o espaço entre seus corpos e insistia-lhe para que repetisse tudo o que havia dito.

Naquele instante, o tempo parecia congelado entre os dois, e a única ação acontecia na atmosfera interna daqueles dois corpos. Ela sabia que jamais poderia livrar-se do encantamento que aquele homem lhe submetia. Ela estava presa a ele por correntes invisíveis e eternas, e adorava estar presa a ele.

E ele sabia que o fato de ter aquela mulher tão única e tão sua não o faria tirá-la de cabeça; viciante eram as sensações que ela lhe causava e a falta dela lhe causava irritação e até mesmo sofrimento do corpo e da mente.

E o “ser” naquele instante nada mais era que a mais intensa atração entre corpos, almas e espíritos, rompendo a linha do tempo e da temporalidade.

Importava-lhes apenas o agora!

medium_beso

Afetuosamente 

Laynne Cris

Do or Die – Thirty Seconds to Mars

Nota explicativa:

ABACO (o tempo) – INTERROGAÇÃO (perguntas)  – MÁSCARA (sentimentos e sensações)

Meu Espaço Literário

www.laynnecris.wordpress.com

Anúncios

Sobre laynnecris

Sou Elaine C. Andrade. Hoje (2017) tenho 38 anos. Sou apaixonada pela leitura e por escrever. Sou formada em Pedagogia e pretendo me especializar em Inglês, alfabetização e gestão escolar. Tenho uma fascinação por músicas e Inglês. Atualmente tenho me dedicado muito na busca da fluência e sou professora alfabetizadora em Inglês. Minha meta é passar no exame da IELTS e talvez morar fora um tempinho. A leitura é para mim um meio muito prazeroso de poder atingir locais e lugares inimagináveis, além de ser uma terapia e uma fonte de conhecimento sem fim. E quando aprendemos nos proporcionar esses momentos para entretenimento, ler torna-se uma atividade necessária para o dia a dia. Também gosto de desenhar, colorir, ouvir músicas. No entanto, faço com menos frequência (só quando surge aquela vontade enorme ou sobra um tempinho). Agora ler nunca estou sem ler algo e onde vou tenho um livro comigo. Me sinto mal se não posso ler. É uma necessidade. Embora ultimamente tenho lido mais livros técnicos e materiais em Inglês. Nasci em Suzano e atualmente moro num bairro de Mogi das Cruzes e estou aprendendo a me adaptar por aqui. Também adoro participar de comunidades de leitura no facebook e canais literários do youtube. Conhecer pessoas, descobrir novos talentos e as vezes encontramos pessoas muito maravilhosas. Enfim, sou uma mulher e profissional comprometida e apaixonada pelo que faço, amo minha minha família e amigos mais que tudo neste mundo. "Que aonde eu passar eu faço amigos e possa agregar valores e aprender também". Laynne Cris
Esse post foi publicado em Contos. Bookmark o link permanente.

16 respostas para Gravidade

  1. Lobo Invernal disse:

    Fico muito feliz quando leio contos singelas sobre um sentimento que é muito bonito, mas as pessoas teimam em culpar o “amor” como se culpa de um relacionamento ruim não fosse dos envolvidos, mas sim de uma força misteriosa. Gostei pakas =)

    Curtido por 2 pessoas

  2. aparecidadias disse:

    Lindo conto!
    Eu gosto de ler sobre amor.
    Beijinho.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Letícia disse:

    Adoro quando leio contos pelos blogs, sou sempre uma amante de ~fictions~ hahaha quando era menor, escrevia fics em um site, o nyahfanfiction. Amava hahaha
    Só acho uma coisa: QUERO MAIS! hahahaha acabou muito rápido, eu aqui já me deliciando com um textão D: hahahhaa
    Beijos Lay! =*

    Curtido por 1 pessoa

    • laynnecris disse:

      Rs…. Que bacana Leh… Então, a senhorita devia escrever umas cositas para nós… Esse pequeno conto é só uma graça… Talvez insira esses fragmentos em alguma coisa maior… Estou brincando de escrever… rs

      Beijão no ❤

      Curtir

  4. Juliana Lima disse:

    Nossa Lay! Bem intenso.
    Você sabe que gosto das mentes que “leem” mentes. E vc fez essa representação muito bem.
    Parabéns flor-sumida-do meu jardim🌹
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  5. Lindo e bastante profundo Lay!! Adoro contos e você escrevendo é sensacional e muito tocante *-* Amei!!
    Um beijão ❤

    Curtido por 1 pessoa

  6. Bella disse:

    Um conto tão simples e tão bonito! Adorei, você escreve tão bem que deixe a gente com aquel sorriso bobo, e a combinação com música no fim é perfeita 🙂 Beijoss

    Curtido por 1 pessoa

Sua opinião é muito importante para mim! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s