Monstros Existem – por Letícia Brito

faixa coluna 01

Monstros Existem

Estamos divididos. Todos temos lados obscuros que não são capazes de perdoar e esquecer, lados malévolos que se revoltam, se vingam, magoam.

Mas todos temos lados puros e benévolos, capazes de dar a mão e proteger, afinal somos humanos e o que importa realmente é o lado pelo qual decidimos agir.

Quando eu era pequena tinha medo dos monstros, na hora de dormir, que poderiam surgir debaixo da cama, ou atrás da porta eventualmente.

Hoje em dia percebo que perigoso é levantar da cama de manha para o mundo lá fora, porque os verdadeiros monstros habitam dentro de alguns de nós.

Bullying: são poucos aqueles que se preocupam, são muitos aqueles que sofrem.

Bullying é o termo usado para descrever atos de violência física ou verbal.

Começa logo na pré-escola, um menino usa óculos e os colegas “brincam”, “quatro olhos”, “caixa de óculos”. São situações aparentemente insignificantes e que alguns pais acreditam ser próprias da idade, mas na verdade este tipo “brincadeiras” é precursora de técnicas mais refinadas que um futuro Bully (termo usado para designar alguém que pratica o bullying) começa a desenvolver.

Hoje ele tem 7 anos e está a dizer ao colega “tu és um palhaço”, amanha tem 14 e a agressão terá requintes maiores. Qualquer comportamento pode tornar-se um hábito e a ausência de punição, o poderá agravar.

Surgem sempre as respostas “não me afectas”, “o que vem de baixo não me atinge”, “quem diz é que o é”, porém a verdade é que situações recorrentes mexem com a auto-estima de algumas crianças e adolescentes. Os Bullies são os “monstros” do mundo real, são aqueles que decidem agir pelo seu lado pior. Revolta verdadeiramente quando presenciamos episódios assim e às vezes sentimo-nos incapazes de fazer algo em prol disso.

Estudos revelaram que 40% das crianças portuguesas dizem-se vítimas de bullying. É lamentável que num mundo tão evoluído como o nosso ainda existam pessoas que agem sem humanidade alguma.

Meninas são chamadas de gordas e feias e sentindo-se insignificantes chegam à anorexia numa tentativa desesperada de se integrarem, porque na adolescência não importa ser diferente o importante é ser aceite pelos demais.

O bullying já levou algumas crianças/adolescentes à morte, e ainda assim isso não foi razão suficiente para fazer os bullies recuar, eles existem, eles convivem connosco, às vezes partilham a nossa mesa. Estão por todo o lado, não tem sentimentos, e provocar dor psicológica ou física nos outros, fá-los sentir bem.

Palavras são assassinas. Há feridas que não são visíveis mas doem muito mais que uma bofetada na cara, ou um braço partido. E portanto a mensagem principal: encara o espelho sem medo, mostra a ti mesmo aquilo de que és feito. Não deixes que os mal-amados e os infelizes roubem a tua essência, roubem a tua felicidade. Não te escondas, não finjas que não aconteceu.

Mostra a tua força, porque acredita há muita dentro de ti. Não permitas que te arranquem os sonhos. Não desta vez.

Tu podes ser ainda muito feliz. Não receies o mundo lá fora, ele é bárbaro, mas tu és guerreiro.

 

Letícia Brito

Nota: A escritora é portuguesa, e portanto foi preservado seu idioma.
Anúncios

Sobre laynnecris

Sou Elaine C. Andrade. Hoje (2017) tenho 38 anos. Sou apaixonada pela leitura e por escrever. Sou formada em Pedagogia e pretendo me especializar em Inglês, alfabetização e gestão escolar. Tenho uma fascinação por músicas e Inglês. Atualmente tenho me dedicado muito na busca da fluência e sou professora alfabetizadora em Inglês. Minha meta é passar no exame da IELTS e talvez morar fora um tempinho. A leitura é para mim um meio muito prazeroso de poder atingir locais e lugares inimagináveis, além de ser uma terapia e uma fonte de conhecimento sem fim. E quando aprendemos nos proporcionar esses momentos para entretenimento, ler torna-se uma atividade necessária para o dia a dia. Também gosto de desenhar, colorir, ouvir músicas. No entanto, faço com menos frequência (só quando surge aquela vontade enorme ou sobra um tempinho). Agora ler nunca estou sem ler algo e onde vou tenho um livro comigo. Me sinto mal se não posso ler. É uma necessidade. Embora ultimamente tenho lido mais livros técnicos e materiais em Inglês. Nasci em Suzano e atualmente moro num bairro de Mogi das Cruzes e estou aprendendo a me adaptar por aqui. Também adoro participar de comunidades de leitura no facebook e canais literários do youtube. Conhecer pessoas, descobrir novos talentos e as vezes encontramos pessoas muito maravilhosas. Enfim, sou uma mulher e profissional comprometida e apaixonada pelo que faço, amo minha minha família e amigos mais que tudo neste mundo. "Que aonde eu passar eu faço amigos e possa agregar valores e aprender também". Laynne Cris
Esse post foi publicado em COLUNA DE SÁBADO e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

25 respostas para Monstros Existem – por Letícia Brito

  1. palhao disse:

    Difícil lidar com eles quando ainda são monstrinhos, não é mesmo?

    Espero que consigamos desenvolver técnicas infalíveis contra os bullies e criar um ambiente mais ameno e acolhedor.

    Obrigado, Letícia e Laynne. Gostei muito do artigo.
    Abraço

    Curtido por 3 pessoas

    • laynnecris disse:

      Pois é… talvez seja o problema mais antigo e que muitas vezes todo mundo vê como brincadeirinhas a toa… mas, só quem sofre pode dizer as dimensões do ato… E o mais complicado é que muitas vezes a criança aprende desde muito cedo e não recebe uma orientação que resolva… é tipo aquela coisa – mas, todo mundo faz!!!

      Curtido por 2 pessoas

  2. roccalex1 disse:

    Me identifiquei muito com esta postagem, pois sofri bullying por muito tempo e era vítima de violência. Até que enfrentei estes “bullies” e ganhei o respeito de todos. Mas sou sincero e dizer que ainda não sei qual é a receita para se exterminar com este problema, pois cada pessoa pode sofrer bullying de uma forma, seja de agressão, de xingamento ou o pior de todos, de desprezo por toda a turma.
    Pena que estes covardes não leiam este tipo de postagem e deixem de praticar esta violência gratuita contra inocentes.
    Parabéns a você, Leticia Brito, que teve a coragem de mostrar a todos que monstros existem e são mais reais do que todos pensam, e para a minha querida amiga Laynne, que fez a postagem.
    Um beijo enorme para as duas.
    Alex

    Curtido por 3 pessoas

    • laynnecris disse:

      Andre… fico muito feliz que vc tem uma historia com final feliz.. é importante que ao minimo receba acolhimento de alguem que acredite na pessoa que sofre… pois cada um tem uma reação… A nossa intenção é de compartilhar e alcançar o maior número de pessoas possíveis… Pois, como disse é uma situaçao muitas vezes fora de controle e age as vezes de forma silenciosa… obrigada pelo carinho de sempre.

      Curtido por 2 pessoas

  3. Adorei Lay! Meus parabéns para ti e para a autora deste post também.
    Realmente o bullying é uma coisa grave e com certeza nos afeta, por mais insignificante que seja, uma palavra mal dita, mexe completamente com a nossa auto-estima. E hoje com esse mundo virtual, o bullying também ocorre através da internet, o que de certa forma pode ser pior… E os verdadeiros monstros realmente são os humanos, mas não todos e creio que ainda existem pessoas boas, como você, que fazem o bem e querem melhorar o mundo ❤
    Um beijo e um abraço enorme pra ti!

    Curtido por 3 pessoas

    • laynnecris disse:

      Verdade, Nath! Essa é uma situação que cada um precisa estar atento, pois muitas vezes a pessoa que sofre nem consegue relatar… Mas, teremos mais discussões do assunto nos próximos sábado… Se tipo tiver alguma dúvida ou levantar algum ponto que sinta que pode ajudar… Um abraço carinhoso….

      Curtido por 2 pessoas

  4. KAMBAMI disse:

    Não sei, mas creio que a inveja muitas vezes faz crescer o bullying. Nenhum de nós é igual, podemos até ter semelhanças e estas muitas vezes são apenas externas vide os gêmeos idênticos ou monozigóticos ou ainda univitelinos. É algo complexo e por mais que desejamos que esse comportamento errado acabe ou desapareça, ainda não vi nenhum estudo do por que dele começar. O que podemos e devemos fazer uma vez conscientes do mal que isso faz a persona é expurgá-lo mas não apenas com punições e sim com explicações de o por que não o fazê-lo. Um bom exemplo é um teste estudo que vem sendo desenvolvido entre alunos de uma determinada escola de um determinado local onde o agressor é posto no lugar do agredido para sentir como é. Quem estudou ou estuda artes cênicas sabe bem como são os exercícios.
    Muito bom o texto e estou reblogando, afinal essa semente deve germinar. 😉

    Curtido por 4 pessoas

    • laynnecris disse:

      Oi, KamBami é verdade que o início é bastante incerto… Mas, cá pra mim acredito que comece com brincadeira boba e muitas vezes, os bullies, querem se divertir ou chamar à atenção. Ou quando ainda pequeno minha sobrinha com apenas 3 anos achou estranha a pele de uma mulher (era uma senhora negra), e ela achou engraçado e quis rir; olhei séria pra ela e falei que somos todos diferentes na aparência, que cada um Deus fez de um jeito e que se rirmos ou falarmos mal uns dos outros, estaremos machucando a nos mesmo… ela me encheu de um monte de porquês, mas sempre que via alguém que não era igual, dizia – não pode rir né… e acho que desde muito cedo precisamos podar o instinto que é nosso. Como diz o ditado – todos temos sentimentos maus as vezes… mas, o que nos torna mal é obedecer esses sentimentos!

      Abraços, muito obrigada pela participação. .. 😉

      Curtido por 2 pessoas

  5. Silvia Souza disse:

    O texto da Letícia é muito bom!
    E realmente é de entristecer que temos que nos proteger, principalmente, de outras pessoas, que é onde habitam as maiores maldades.
    Os números do bullying são estarrecedores e suas consequências são alarmantes.
    Mais uma vez quero dizer o quanto admiro a proposta desse projeto!
    Beijo!

    Curtido por 2 pessoas

    • laynnecris disse:

      É a coisa mais antiga e devido as vezes a forma como acontece a pessoa agredida sofre muitas vezes sem ser acreditada pelos pais… Lembro quando era pequena minha irmã ficava na creche e certa vez machucou a boca e ficou com uma ferida. E ela nao queria mais ir pra creche e chorava pra entrar… ai ela me falava que todas crianças falavam que ela tinha AIDS e minha mae achava que era frescura. E eu nao podia ir com ela e ficava desesperada quando via o olhar desesperador… É Muito complicada a situaçao pra uma criança resolver sozinha. Beijao pra voce…

      Curtido por 2 pessoas

  6. Juliana Lima disse:

    Show esse post Laynne!
    Bullying é um tema sério e deve ser bem retratado, como fez com louvor a Letícia Brito.
    Parabéns meninas ☺

    Curtido por 1 pessoa

  7. Realmente, difícil lidar com crianças que praticam o bullying, e por isso, acho, que tem.sido um problema tão difícil de se contornar, lembro da minha época de escola, presenciei muito isso é ficava indignado, muitas vezes entrei no meio para defender amigos, e desde então ainda não vi melhoras! Triste isso…
    Ótima postagem e tema, mais bela ainda a abordagem do assunto! Parabéns!

    Curtido por 2 pessoas

    • laynnecris disse:

      Verdade! A natureza humana é algo muitas vezes de difícil compreensão. Mas, sempre vi como algo patológico o fato de gostar de ver alguém se dar mal ou ser humilhado.

      Semana que vem vai ser muito esclarecedor para este tema. Tenho esperança de alcançar ao menos quem necessita de ajuda pra lidar com isso, ou alertar pais para que possam identificar se seus filhos são vítimas ou agressores.

      Um grande abraço

      Um dia lindo pra vc

      Curtido por 1 pessoa

  8. Pingback: Monstros Existem – por Letícia Brito – Letícia Brito

Sua opinião é muito importante para mim! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s